Trilha Cajuzinho – 13-04-2014

Brasília, 13 de abril de 2014

*Fotos: Fábio “Bauru” Malaguti

https://www.endomondo.com/workouts/322788520/6488121

Domingo bonito de sol. Há muito tempo não participava das trilhas do Rebas do Cerrado. Estava procurando uma boa trilha para treinar para o Desafio das Pontes e o Dalton me chamou para a Trilha Cajuzinho. Inédita para mim, topei.

bannerlivro

Às 7h da manhã, Dalton passou já com a minha bike embarcada no seu Ka. Ele estava adaptando um bagageiro para meu quadro pois não consegui achar nenhum outro que desse certo. Ele fez um ótimo trabalho. O bagageiro ficou forte e discreto.

Fomos até o ponto de encontro da trilha, na frente do Clube Caiçaras, na DF-290. Chegamos antes do horário de partida para fugir do enorme pelotão que participa das trilhas do Rebas. Os amigos do Dalton também chegaram cedo e logo partimos.

A trilha começa do outro lado da DF-290, numa estrada de chão que leva para as fronteiras do DF. Com 6,5 km adentramos em Goiás. Seguimos por estradas de terra até o quilômetro 9, onde pulamos a cerca e entramos no cerrado. A trilha passa por um longo single pelos morros da área, muito técnicos e com muitas pedras soltas.

cajuzinho-13042014-bauru-03_13829269254_o

Do alto pode-se observar que a paisagem mudou bastante. O cerrado tem dado lugar ao eucalipto e à soja.

cajuzinho-13042014-bauru-07_13828957903_o

No final do morro, na parte baixa, em vez de pegarmos a direita para descer até o Córrego Barriguda, seguimos em frente. Finalmente, caminhos novos. A trilha seguiu beirando uma mata. Descemos na ponta dos cascos pois a estrada sombreada estava muito lisa. Ela seguiu por vários quilômetros antes de começar a subir para a rodovia GO-425, de terra.

Ficamos pouco tempo na 425. Logo entramos à esquerda e seguimos rumo sul. A estrada seguiu em meio ao cerrado em algumas partes, e passando por sítios em outras. Numa certa altura, entramos numa área de singletracks subindo o morro. Foi uma das melhores partes da trilha. Subida técnica, do tipo que a bike escorrega no cascalho e tem que se desviar das árvores para não ficar enroscado. No final, outra área de cerrado plana, e depois tome descida rumo ao Rio Alagado, que tem este nome desde os anos 1700, e que agora faz mais jus ao nome, pois seu vale foi alagado pelas águas do Lago Corumbá IV. A vista do alto, antes de começar a descer, é linda.

cajuzinho-13042014-bauru-29_13829000855_o

Ali começa uma sucessão de singles e carreadores até chegar à margem do lago. É aí, no meio de uma enorme pastagem, que fica a árvore que deu nome à trilha: o cajuzinho. Ela se destaca em meio ao pasto e atrai como um ímã quem passa por ali, com sua sombra.

E assim, chegamos na margem do rio. Bem na sua frente está sendo construída uma captação de água da CAESB que promete resolver o problema de abastecimento do DF por cem anos. Lanchamos e aproveitamos para espantar o calor mergulhando no lago.

cajuzinho-13042014-bauru-32_13829010505_o

Depois de tanta descida, dá pra imaginar como seria a volta. Sair do vale é complicado. Singles na beira do rio, depois, estradas subindo até a borda do vale.

cajuzinho-13042014-bauru-39_13829383864_o

A estrada aplaina um pouco a três quilômetros da margem, mas continua subindo por estrada cheia de curvas de nível. Esta estrada trouxe emoção à trilha. As curvas de nível íngremes sempre tinham surpresas do outro lado: enormes poças d’água, buracos, ciclistas no sentido contrário.

Saindo do vale, foram 12 km até passar pela nascente do Ribeirão Lagoinha. Aí começamos a descer. A estrada passa pelo divisor de águas dos córregos Barriguda, Sítio Novo, Capão do Ouro, Engenho das Lages e Jambreiro. A pior subida do dia começa neste divisor. São 150 m de elevação em menos de cinco quilômetros. No alto, chegamos na estrada que volta ao Caiçaras, uma longa estrada plana.

Pedalamos 60 km no total. Bela trilha do Rebas do Cerrado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s