História da Terra e do Homem no Planalto Central – Paulo Bertran

Paulo Bertran Wirth Chaibub nasceu em Anápolis em 1948. Formou-se em Economia pela Universidade de Brasília e especializou-se em História na Universidade de Strasbourg – França. Sou admirador do trabalho de Paulo Bertran na área histórica.

bannerlivro

Como grande parte dos brasileiros, eu imaginava que a história do Distrito Federal havia começado quando Juscelino Kubitschek decidiu mudar a Capital para o Planalto Central, mas depois de mudar-me para Brasília, descobri que por aqui havia muito mais história.

histhomempcHá alguns anos deparei-me com o livro História da Terra e do Homem no Planalto Central, de Paulo Bertran. Fiquei fã.

O livro mudou totalmente minha visão sobre o que era o Planalto Central antes de JK, antes de Luís Cruls percorrer estes sertões para delimitar a área onde um dia Brasília seria construída, antes até mesmo de os bandeirantes devassarem estas terras.

Para quem gosta de história e quer conhecer melhor o Planalto Central, leia o livro. Em dezoito capítulos, Bertran relata lendas e mitos, enumera bandeirantes e cientistas que percorreram o interior do Brasil, esmiúça a exploração aurífera, caracteriza o Homo cerratensis, descreve a economia das antigas cidades, relaciona lugares famosos e alguns que estão presentes em documentos históricos mas nunca foram encontrados.

Bertran morreu em Goiânia, em 2005, aos 56 anos, deixando como legado obras de grande valor:

1- Formação econômica de Goiás
2- Uma introdução à história econômica do Centro-Oeste do Brasil
3- Memórias de Niquelândia
4- História de Niquelândia: do Julgado de Traíras ao Lago de Serra da Mesa
5- Notícia geral da capitania de Goías
6- História da Terra e do Homem no Planalto Central: Eco-história do Distrito Federal
7- Cerratenses – poesia
8- Goiás: 1722-2002
9- Cidade de Goiás, patrimônio da humanidade – origens
10- Memorial das Idades do Brasil (em coautoria com Graça Fleury)
11- Palmeiras de Goiás, primeiro século
12- Sertão do Campo Aberto

Em 2003, Paulo e um grupo de amigos criou o Instituto Bertran Fleury, em Brasília. Após seu falecimento, o instituto ganhou sede própria na Cidade de Goiás. Assim nasceu o Memorial Paulo Bertran, museu que guarda parte de sua biblioteca, alguns de seus pertences, objetos, estátuas, etc. Neste espaço realizam-se saraus, workshops, cursos, palestras e outros eventos culturais.

Terminada minha cicloviagem pelo Caminho de Cora Coralina, fui visitar o Memorial Paulo Bertran. Caminhei do centro de Goiás até a sede do instituto no sábado de manhã. Fui atendido por Irene, que gentilmente abriu as portas do lugar para que eu o conhecesse.

20181020_081606

Não consegui conversar com sua viúva, Maria das Graças Fleury Curado, mas pelo menos adquiri a versão impressa do livro que tanto admiro.

Além do apreço pela história, Paulo Bertran e eu temos outro ponto em comum: a devoção por Nossa Senhora Aparecida. Seu memorial guarda a coleção de imagens que Bertran reuniu.

20181020_082050

Sobre uma das mesas há uma folha de papel emoldurada. Foi nela que Paulo Bertran pediu para ser cremado e escreveu seu epitáfio:

Vivi minha vida e a amei.
Mereci meu povo e o amei.
Aqui jaz um pobre rico homem
Na sua calma amorosa final.

Ao visitar a Cidade de Goiás, conheça o Memorial Paulo Bertran, ele ficam bem próximo ao centro, na Pousada Dona Sinhá, na Rua Padre Arnaldo, 13.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s