Como sobreviver ao trânsito urbano

por Evandro Torezan

Desde 2008 circulo de bicicleta pelas ruas de Brasília. Felizmente, nunca sofri acidente.

Sempre tive problemas em ficar preso no trânsito. Perder horas dentro de um carro num engarrafamento faz minha pressão arterial subir. Usar a bicicleta como meio de transporte para ir ao trabalho foi a solução perfeita para resolver o problema. O deslocamento diário deixou de ser um martírio, passou a ser prazeroso.

Pedalar para o trabalho deixou-me mais disposto. Meu dia passou a render bem mais e encontrei tempo até para o que considerava impossível: estudar para concurso público. Essa história acabou virando livro (De catedral a catedral: como passar em concurso público andando de bicicleta).

bannerlivro

Já pedalei em muitas cidades, no Brasil e no exterior, e posso afirmar que o ciclista que pedala por Brasília é um privilegiado. Ele é muito mais respeitado na Capital Federal do que no restante do país. Porém, mesmo em países ou cidades onde a cultura ciclística não é tão presente, a postura do ciclista no trânsito faz toda a diferença. Com a experiência de quem está exposto ao trânsito quase diariamente, posso afirmar com autoridade o que me ajuda a pedalar com segurança.

A bicicleta é um veículo extremamente versátil. Com a bike é possível circular em vias para automóveis, como rodovias, ruas e avenidas; em vias para pedestres, como calçadas e passarelas; e em vias criadas especialmente para a bicicleta, nossas amadas ciclovias e ciclofaixas. Essa versatilidade exige cuidados e comportamentos diferentes em cada tipo de via. Em vias automotivas, a atenção deve ser redobrada e o ciclista deve portar-se como automóvel. Em vias de pedestres, quem manda é o pedestre. Nas ciclovias, a dominância da bicicleta deve ser sempre lembrada aos pedestres e automóveis que insistam em parar ou circular por ela.

Dicas para sobreviver ao trânsito urbano

1 – Usar ciclovias e ciclofaixas

Amigão, elas foram feitas para você! Use e abuse. Nessas vias, a bicicleta é rainha.

A ciclovia é uma via segura para o ciclista, isolada do trânsito automotivo. Ciclofaixa fica junto às vias para automóveis, demarcada por pintura no chão (faixas), tachões ou olhos-de-gato.

Se encontrar pedestres caminhando por ela, avise sobre sua aproximação assobiando, buzinando ou apitando. Esse aviso é para que eles desobstruam a via e não se assustem com sua passagem.

Se encontrar carros, registre o fato, fotografe, denuncie aos órgão competentes. Se possível, com muita calma e respeito, tente conversar com o motorista para informar-lhe que ele está cometendo grave infração de trânsito.

2 – Usar equipamentos de segurança

Capacete, luvas e óculos não são obrigatórios, mas são itens fundamentais para sua segurança. Não saia de casa sem eles.

Campainha, espelho retrovisor esquerdo e refletores (nos pedais, na frente e atrás da bicicleta) são obrigatórios por lei, mas não são tão importantes quanto os citados anteriormente (capacete, etc). Alguns tipos de espelhos retrovisores, que possuem hastes metálicas, podem até lhe matar em caso de acidente, caso você caia sobre eles. Quem escreveu a lei não era ciclista!

3 – Agradecer às gentilezas e ser educado

Como diria José Datrino, o Profeta Gentileza, “Gentileza gera gentileza”. Agradeça verbalmente ou simplesmente “dê um joinha” quando alguém fizer uma gentileza para você. O pedestre parou para você passar por ele? Agradeça. O motorista esperou você passar pelo cruzamento mesmo não sendo sua preferência? Agradeça.

Agradeça sempre, mesmo se o motorista tenha feito apenas sua obrigação. É o comportamento de cada ciclista que mudará a maneira como a sociedade nos enxerga.

Se um pedestre estiver impedindo sua passagem, fale com ele. Cumprimente-o e peça licença: “Bom dia. Com licença. Obrigado.”

4 – Sinalizar mudanças de direção

É importante que o ciclista sinalize suas intenções de mudança de direção. Isso evita acidentes, principalmente quando estiver circulando por ruas e avenidas. Estique o braço na direção para onde você for virar. Ao chegar a um cruzamento em que a preferência é sua, aponte para a frente para que os carros vejam que você não vai parar nem virar.

5 – Usar roupas coloridas

Usar roupas coloridas ao pedalar pode salvar sua vida. São elas que ajudam o motorista a enxergar o ciclista. Não use preto, tons amarronzados ou cinzentos pois são cores que se misturam à paisagem urbana.

6 – Usar luzes de sinalização e refletores

Ao circular de noite, na chuva, no amanhecer ou entardecer, use luzes de sinalização e lanternas. Nessas situações, onde a visibilidade do motorista fica prejudicada, luzes estroboscópicas (pisca-pisca) e lanternas são fundamentais para que o ciclista seja visto. Refletores nas rodas e pedais também são importantes e devem ser mantidos limpos para funcionar adequadamente.

7 – Ouça o trânsito

Evite pedalar usando fones de ouvido ou caixas acústicas tocando som alto. Ouvir o trânsito é importante. Um carro aproximando-se, um caminhão freando, uma buzinada. Esses sons devem ser captados e processados pelo ciclista para tomar decisões.

8 – Respeitar os pedestres

No trânsito, o maior protege o menor. Temos que proteger os pedestres seja lá onde eles estiverem. Em calçadas e passarelas, atenção redobrada: o pedestre não deve ser incomodado pois a preferência é dele.

Cuidado com crianças! Elas não têm noções de trânsito e podem mudar de direção aleatoriamente. Cuidado com os idosos! Eles tem saúde frágil e uma queda pode levá-los a óbito.

9 – Respeitar sinais de trânsito

Pare nos semáforos fechados. Não circule pela contramão. Respeite a preferencial.

10 – Fugir do trânsito pesado

Quando possível, evite circular por vias rápidas para veículos automotores.

Antes de sair de casa, planeje seu percurso, optando sempre por caminhos com ciclovias e ciclofaixas. Se for por ruas, avenidas ou estradas, circule pelas laterais da via. Opte por ruas de pouco movimento. Se não houver acostamento, não se posicione muito no canto da via, pois os motoristas tentarão passar na mesma faixa em que você está, mesmo não havendo espaço para fazer isso com segurança. Pedale rápido pois estes não são lugares de passeio.

Comporte-se como um veículo (velocidade, sinalização de direção, respeito aos sinais de trânsito).

Automóveis grandes, como ônibus e caminhões, não conseguem parar rapidamente como carros pequenos. Entrar na frente de um deles pode ser fatal.

11 – Antecipe ações de motoristas e pedestres

Fique atento e tente prever o comportamento de motoristas e pedestres.

Um carro diminuindo a velocidade ao aproximar-se de uma entrada, mesmo sem sinalizar, é sinal de que vai fazer conversão. Carro parado com gente dentro pode ter alguma porta aberta a qualquer momento, sem aviso. Ônibus freando perto da parada é óbvio que vai parar.

Pedestres são imprevisíveis. Eles podem mudar o lado da calçada a qualquer momento. Passe devagar por eles. Pedestre com fone de ouvido é um perigo!

– – –

O ciclista é um componente frágil do trânsito. Faça o que puder para manter-se vivo.

Bons pedais!

2 comentários sobre “Como sobreviver ao trânsito urbano

  1. Muito bom Evandro, sempre estou divulgando e orientando ciclistas nesse sentido. Parabéns pela iniciativa.

    Curtir

  2. Fantástico amigo!
    Apesar de amar pedalar, morro de medo de pedalar na cidade, principalmente sozinha.
    Dicas preciosas para quem precisa pedalar na cidade.
    Divulgarei!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s