Oásis – 13/06/2020

Edilândia, 13 de junho de 2020

https://www.strava.com/activities/3609117300

Edilândia é distrito de Cocalzinho de Goiás. A oitenta quilômetros de Brasília, a comunidade é cortada pela BR-070. É lá o ponto zero da Trilha Oásis, nome apropriado para levar a patroa para pedalar depois do dia dos namorados. Foi uma espécie de presente, tanto para mim quanto para ela. Como Leidiane começou a pedalar distância maiores nas últimas semanas, prometi levá-la a um lugar lindo.

Às 8 horas estávamos no Auto Posto Edilândia, esperando a turma chegar. Aproveitei para comer um disco de carne na lanchonete do posto, chamada Doce Pimenta. Ela serve um dos melhores discos de carne da região, quitute goiano muito saboroso.

A turma não demorou a chegar. Eldenice, Gilson, Rodolfo, Bianca, Soledade (Sula) e Nelson, e as crianças Vitinho e Gustavo, que seguiriam até o Oásis de carro com Bianca.

Nelson, Soledade, Eldenice, Leidiane, Rodolfo, Evandro e Gilson

Partimos por volta de 8h30. Saindo do distrito, tem um descidão forte de dois quilômetros. Do alto, as primeiras amostras das paisagens que percorreríamos durante o dia. 

A descida terminou quando cruzamos o Rio Areias. Essa trilha tem uma característica interessante: as subidas estão concentradas principalmente no trecho até o Oásis, que está a doze quilômetros de Edilândia. Então, passado o rio, começou a subida. Seguimos entre fazendas e lindos trechos de cerrado preservado.

A passagem pelo Córrego dos Borges é o único alívio que a subida nos dá entre o Rio Areias e o Oásis.

Chegamos à pedreira às 10 horas. Passamos por algumas pontes improvisadas e chegamos ao Oásis. Pedreiras são lugares de destruição. Mas mesmo num lugar tão mexido, paisagem destruída pelo homem, a natureza criou beleza onde menos se esperava. Os trabalhos de mineração atingiram o lençol freático e das entranhas da terra brotou água pura, verdinha, transparente, uma maravilha, um verdadeiro oásis.

Oásis

Leidiane, em sua primeira trilha depois de anos sem pedalar fora do asfalto, foi muito bem. Estava cansada quando chegamos no Oásis, mas muito menos do que eu imaginei que ela estaria. Sula, em sua primeira trilha, também estava muito bem.

Caímos na água. Não estava quentinha como eu imaginava, pelo contrário, estava fria, mas depois do primeiro contato, um mergulho rápido quebrou o gelo e a temperatura ficou agradável. Nadamos, lanchamos, saltamos das margens. Bianca e as crianças vieram de carro e curtiram o Oásis conosco. Ficamos cerca de uma hora no local.

Saímos do Oásis e ainda subimos mais um quilômetro para alcançar o ponto mais alto do percurso, o alto da Quatro por Quatro, subida dura que geralmente percorremos no caminho off-road para Pirenópolis.

A vista é linda lá de cima. Há lindos palmeirais de indaiá nos vales dos riachos que nascem no alto da chapada. Não é à toa que o morro logo à frente chama-se Morro do Cocal.

Dessa vez, descemos a Quatro por Quatro. Seguimos pelas estradas de terra até a comunidade Morrinhos, também chamada de Mamoneira por ser vizinha à Fazenda Mamoneira. Paramos no mercadinho do local para tomar um Gatorade. Os amigos aproveitaram para comprar rapadura.

Saímos de Morrinhos enfrentando alguns quilômetros de costela de vaca. Nessa época do ano, o céu no Planalto Central fica lindo.

Faltavam apenas dois desafios para terminarmos a trilha. O primeiro era a subida da chapada onde, no alto, fica a estrada que havíamos percorrido para chegar ao Oásis. De longe, a vista da subida é assustadora…

… mas todos subiram pedalando.

Chegando na estrada, foi só descida até o Rio Areias, onde paramos para agrupar. O Rio Areias, nesse local, é ótimo para banho. Tem águas limpas, calmas, e parece haver trechos rasos para as crianças e profundos para os adultos.

Faltavam apenas dois quilômetros para terminar a trilha. Foi tão fácil chegar ali de manhã, mas agora era ao contrário, só subida.

Quase no finalzinho, Leidiane derrapou o pneu dianteiro no pedrisco e levou um tombo. Gostou da região e foi logo comprando um terreno, kkk. Nada grave.

Terminamos a trilha às 13 horas. Foram 29 quilômetros com 656 metros de subida. Boa estréia para Leidiane e Sula. Parabéns, meninas!

Leidiane gostou da experiência e já encomendou a próxima. Pense num Ser Pedalante apaixonado! S2

9 comentários sobre “Oásis – 13/06/2020

  1. As vezes que passei nesse Oásis estava indo pra PIri geralmente a turma avechada sem tempo de curtir, agora fiquei com vontade de fazer esse bate volta sem pressa!!!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Adoramos a trilha e a companhia de vocês. Tbm estou muito apaixonada porque meu bem tbm não reclamou e já está pedindo mais…rsrs.
    E a Leidiane só derrapou porque a pressão foi muita…ela foi fantástica.
    Obrigada por nós proporcionar esse momento família!
    Até a próxima .

    Curtido por 1 pessoa

  3. Bacana. Nos garimpos de Cristalina também tem esse tipo de ocorrência, piscinas de água clarinha que brotam das pedras. Mas não vi tão convidativas para o banho.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s